Menu Fechar

Projecto 31 Dias de Cinema: A Cidade dos Anjos

Viva!

Hoje é o dia #11 do Projecto 31 Dias de cinema.

E já que falei nos tais “clássicos” hoje sugiro um filme que já devem ter visto, mas só para o caso de alguém não o conhecer e porque filme e mensagem merecem…

A Cidade dos Anjos

Esta é uma história de amor com um final triste, MAS… e tem um grande mas – com muito conteúdo!

A história roda à volta de um anjo que se sente atraído pelas sensações físicas, acabando por apaixonar-se por uma mortal que não acredita em anjos ou noutra forma de vida além da que conhecemos.

Seth é o anjo que escolhe cair e tornar-se mortal, que escolhe experienciar a vida na forma física.  

Este filme fala-nos essencialmente no livre arbítrio, mas deixa espaço para considerações sobre os anjos que nos ajudam nos momentos mais críticos e na passagem para outro nível do nosso ser, sobre a experiência física – descrevendo poeticamente todas aquelas sensações divinas às quais não damos importância por serem tão banais -, sobre o próprio conceito do Amor…  

Mesmo sendo uma história em que mocinho e mocinha ficam separados… até que ponto é a questão.   Todo o percurso teve um propósito maior, mesmo não ‘ficando juntos’, como provavelmente preferiamos, a passagem de cada um foi muito importante na vida do outro.  

Maggie (Meg Ryan) não acreditava em anjos e não conseguia ter um sono seguido. Enquanto cirurgiã era-lhe muito doloroso perder um paciente pois acreditava ser responsabilidade sua. Seth deu-lhe algo em que acreditar, mostrou como tudo fazia sentido de um outro ponto de vista, fê-la sentir-se segura e amparada.  

Seth questionava-se como seria sentir o vento na cara, sentir o gosto da água, sentir um beijo e acima de tudo sentir que quem ajudava lhe olhava nos olhos, facto que despertou a sua atenção para Maggie. Ela deu-lhe a oportunidade de se experienciar e experienciar a vida de uma outra forma.  

A última fala no filme não podia ser mais expressiva neste contexto: “Prefiro ter sentido o cheiro do cabelo dela uma única vez, um beijo da sua boca, o toque da sua mão do que uma eternidade sem sentir… uma única vez.”  

Claro que o guião assenta na permissa que os anjos nunca encarnaram, assim se compreende a ânsia de Seth pelas sensações físicas.  

Um filme que nos faz pensar…

Título Original: City of Angels Ano: 1998
Mais info na IMDB
Aluguer instantâneo na Amazon: City of Angels (link afiliado)
Trailer no YouTube

Já viu o filme? E que tal?

Beijos cinéfilos,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

20 + sixteen =