Menu Fechar

Organizar o carro em 3 passos

Bom dia!

Para variar um pouco, mas porque é uma extensão da nossa casa, hoje partilho dicas de organização do carro. E enquanto vou partilhando soluções práticas de organização, proponho fazê-lo em 3 passos:

  • acabar com a desordem;
  • organizar;
  • actualizar o porta-bagagens.

Este é o dia #20 do Projecto 31 Dias de Organização em Casa. Se não está a acompanhar o projecto, espreite a lista dos espaços já cobertos até à data clicando no link. E atenção: continua a decorrer o mosaico sob o tema Organização em Casa, onde poderá participar com os seus links até ao final deste projecto!

1º passo: Acabar com a desordem.

Bem, o título deste passo pode não ser o mais adequado, mas o único termo que me ocorre é declutter, que não é bem organizar e sim a fase que precede necessariamente a organização. À falta de melhor termo, aquilo que quero fazer neste passo é retirar do carro tudo aquilo que não é para lá estar: lixo, tralha, coisas-que-saíram-de-casa-mas-não-voltaram… esse tipo de coisas. E assim acabar com a bagunça.

Vale lembrar que o carro não é uma arrecadação com rodas, é um veículo de transporte de pessoas e coisas de A para B, no qual necessitamos espaço para transportar as coisas e as pessoas no momento em que é preciso transportá-las! 😛 É suposto ter o mínimo conforto para essa viagem e, porque é uma viagem, implica um tempo definido e a necessidade de ter um acesso facilitado àquilo que é necessário a cada momento. Então, se calhar mais do que dentro de casa, a organização deste espaço é uma necessidade, não só pelo conforto, mas também pela segurança. Os cenários possíveis a querer evitar, que me ocorrem no momento, incluem coisas a voar com uma travagem mais brusca, um “toque” no carro da frente porque queremos chegar a algo que está no porta-luvas ou ter de enfrentar o pesadelo de esvaziar o porta-bagagens para poder chegar ao pneu sobresselente. Algo familiar? São cenários que podem ser facilmente evitados com alguma organização e, claro, bom senso!

Então, numa primeira ronda pelo interior do veículo, podemos retirar:

  • o lixo,
  • os recibos de portagem que vamos “enfiando” para ali,
  • aquilo que faz sentido guardar dentro de casa e que não é mais necessário no carro,
  • aquilo que já não é de todo necessário e que podemos doar a quem precise
  • e tudo o mais que… possa estar a mais.

(dá para perceber que gosto de listas?)

Não esquecer: porta-luvas, consola, bolsas no interior das portas, palas no pára-brisas, cinzeiro, porta-moedas ou quaisquer outras “cavidades” que possam existir no interior do veículo e que têm tendência a atrair lixo. 🙂 O porta-bagagens, pelo seu potencial, pode ser abordado como uma pequena divisão da casa: esvaziando por completo para limpar e poder colocar de volta APENAS aquilo que quer ou necessita realmente de volta.

2º passo: Organizar.

Depois de acabar com a desordem e limpar o carro (que não incluí como passo pois me parece dispensar introduções, para além de que falo em organizar e não limpar), é importante colocar de volta e de uma forma organizada apenas o que de alguma forma faz falta naquele espaço. É importante manter os artigos à mão, dentro dos limites do constrangimento do cinto de segurança, mas usando o bom senso na escolha dos mesmos. Ou seja, encontrei um bom exemplo de como podemos manter algumas coisas mais à mão usando o espaço desperdiçado por trás da pala do sol, embora com uma péssima selecção de artigos. Não coloco aqui a imagem porque não me faz qualquer sentido, mas se clicarem na imagem abaixo e seguirem o link para a amazon, podem ver que algumas das imagens são de uma pala (do condutor) com produtos de maquilhagem!

Com o devido respeito, pois cada um faz as suas escolhas, mas escusam de me dizer que é para quando estão paradas no trânsito que continua a não me fazer sentido, para além de que já vi por diversas vezes, no carro da frente ou do lado, retoques de maquilhagem serem feitos com o veículo em movimento!
E atenção que o telemóvel pode ficar mais à mão para caso de necessidade, mas não durante a condução. Primeiro, pela nossa segurança física, depois pela saúde da nossa carteira. O melhor é colocá-lo no mãos-livres antes de iniciar viagem ou encostar para atender/fazer a tal chamada urgente ou, se fizer como eu, ignorar o toque e ceder à curiosidade de saber quem era ou responder à chamada apenas quando chegar ao destino. – Garanto que este era para ser apenas um artigo sobre organização no carro e não um puxão de orelhas a ninguém, mas não consegui resistir, pois tenho visto com cada despautério no trânsito…

Mas… para as arteiras e arteiros de plantão, estes organizadores parecem ser simples de fazer. Digo isto porque quero fazer um e ainda não tive oportunidade de me dedicar à tarefa! Mas parece simples, certo? Pode ser algo como o da imagem acima (tecido, elásticos e costuras) ou algo como este projecto que encontrei no pinterest…

A questão dos cds também é discutível, mas pode mantê-los ali por uma questão prática, para poupar espaço no porta-luvas ou porque ficam melhor acondicionados e não necessariamente para trocar o cd durante a condução.

No porta-luvas também queremos apenas o que precisamos dentro do carro e à mão, embora não necessário ao acto de conduzir, como o manual do carro, o registo da manutenção do mesmo (exemplo aqui), carregadores de isqueiro, comando de garagem, luvas ou colete(s) sinalizador(es). Faz-me sentido que o colete ou coletes (consoante costumar andar com mais pessoas no carro ou não) estarem no interior do carro e não na mala porque se é suposto não poder sair do carro sem a sinalização, como é que o vai buscar à mala? Claro que temos de ser flexíveis, mas pode ser importante. Imagine que o carro avaria à noite, numa auto-estrada? Enquanto vai buscar o colete à mala, dependendo das condições de visibilidade e da roupa que tenha vestida, fica bem mais vulnerável! Mas estes são os meus 2 cêntimos!

Pessoalmente, como não uso cinzeiro nem permito que seja usado no meu carro, uso-o exclusivamente como porta-moedas para as portagens. Porque não adaptar os espaços conforme o que lhe dá mais jeito?
E para manter contido o lixo que possa produzir (recibos, pastilhas, etc), poderá encontrar uma solução prática no pinterest! 😉 Poderá ser mais criativo e usar algo assim…

Ou usar a caixa dos cereais para o efeito…

Ou pode utilizar algo mais completo e, com mais espaço na cabine, pode colocar um organizador no lugar da consola…

Mas com qualquer uma das soluções, terá um saco que pode transportar no momento para fora do seu carro, com todo o lixo produzido durante a viagem. Este último organizador também poderá ser uma boa ideia para conter os brinquedos das crianças (seguir o link da imagem para ver as ideias). Se não se ajeitar com a costura, também existem versões prontas para consumo.

De entre aquelas que podem ser recriadas, existem muitas opções… Aproveitando os bancos livres (ou criando espaço entre as crianças para uma maior harmonia na viagem)…

ou a parte de trás dos bancos…

Pessoalmente, prefiro reservar os bancos para o seu fim, sentar pessoas, e aproveitar as costas destes para a organização que possa ser necessária

3º passo: actualizar o porta-bagagens (vulgo mala).

É aqui que se costuma localizar o pneu sobresselente, embora dependa do tipo de carro, por isso convém ter em mente a sua acessibilidade. É também função do porta-bagagens transportar coisas de um lado para o outro (leia-se acomodá-las temporariamente). Temo que o meu porta-bagagens também tenha outras funções, pois algumas coisas teimam em querer estender a sua estadia no tempo e no espaço.

Há algum tempo atrás dei volta a um dos armários do escritório (para arranjar espaço para algum material para as minhas “manualidades”) e coloquei de lado diversos livros para doar. Portei-me muito bem e tirei logo os sacos de casa, coloquei na mala do carro e nessa mesma semana passei duas vezes pela biblioteca mais próxima, que apanhei fechada (mesmo dentro do horário que estava afixado na porta e que eu tinha consultado na net!! Dá para acreditar?). Ainda não procurei o porquê e nem procurei outra biblioteca ou outro lugar onde os ir deixar, pois não quero simplesmente deitá-los fora. Amo livros e apesar de já não me servirem neste momento, estão muito bons e podem servir outras pessoas. E entretanto, passaram-se… 2 meses?! Tanto?!? Nah…

Porta-bagagens, certo… convém então ter espaço para transportar estas coisas que queremos e precisamos transportar (ahem) temporariamente, de um lado para o outro e que normalmente são compras! Para isso mantenho um, não, vários sacos no carro (procuro ser eco-friendly) e um que tem armação e se transforma em cesto, para coisas mais pesadas. Convém, no entanto, que as coisas não andem a bailar lá dentro – de tanto espaço que sobrou da nossa organização, certo?! 😉 e para isso existem algumas boas opções.

Vale lembrar ainda que tanto na mala como no interior do veículo, e uma vez que a velocidade e o movimento exercem influência sobre os artigos que transportamos, convém escolher soluções que fiquem presas no lugar, por uma questão de segurança (dos bens e das pessoas). Podemos usar velcro, correias e afins. É aqui que posso dizer que faz sentido transportar ainda um estojo de primeiros socorros (pode ver uma lista de exemplo aqui e aqui) e um kit de emergência automóvel (exemplo aqui para criar e aqui para comprar), para qualquer eventualidade. Quer escolha comprar ou criar este último, convém não esquecer o triângulo de pré-sinalização e o colete reflector (homologados e obrigatórios por lei).

Aos “roqueiros” de plantão: sim, aqui também cabe o sistema de som xpto!

Mas na mala do carro ainda cabe (para os norte-americanos pessoas especialmente prevenidas) um kit de sobrevivência, para, caso tenha de abandonar a viatura, poder trocar o salto alto pelos ténis, ter um agasalho, umas barritas energéticas, água potável, fósforos, etc (exemplo de lista aqui e aqui). Claro que também dá para o chapéu de chuva, uma manta e o que mais lhe fizer sentido. Não se esqueça, no entanto, de ter em consideração que a necessidade deste tipo de artigos varia consoante a época do ano e a fase da nossa vida. Ou seja, se já não tem crianças pequenas (nem transporta nenhuma), pode tirar as cadeiras de criança da mala de uma vez por todas, mas se gosta de ir ver o pôr-do-sol à praia no final do dia – e o tempo está bom para isso – talvez queira manter aquelas cadeiras desdobráveis de campismo no porta-bagagens! Este dois exemplos não me são nada familiares!

Aliás, vêm aquela imagem com o patinho logo no início deste post? Aquela é a mala do meu carro no final de Julho passado! Aquela bóia-pato e o saco-toalha de praia às listas andaram pouco mais de uma semana na mala do carro, desde que comprei a bóia até o dia da sessão de fotos em que a usei! Achei que não valia a pena levar para casa e ter de voltar a trazer para o carro na semana seguinte e como ainda tinha espaço para eventuais compras, facilitei! Mas facilitar neste campo é fácil, pelo menos para mim!

Enfim, dizia então que depende das nossas necessidades e da época do ano, daí que é importante ir fazendo esta reavaliação.

E vou mencionar ainda a necessidade de um 4º passo:

A manutenção!

Não o mencionei antes porque se destina a manter e não a organizar, mas é preciso manter qualquer espaço como nos é mais funcional e agradável, certo? O carro não é diferente. Depois des-bagunçado, limpo e organizado, queremos instalar bons hábitos nas nossas rotinas (ahem), como voltar a trazer para dentro de casa tudo o que levamos para a viagem e é apenas útil àquela viagem, ir trocando o saco do lixo, ir reavaliando as necessidades sazonais, verificando os prazos dos artigos que constam dos kits de emergência (sempre que adequado) e o bom estado do pneu sobresselente.

E pronto! Estão aí as dicas.

E você? O que mantém no vosso carro – interior e porta-bagagens? Quais são os seus artigos sazonais? Tem outras dicas para partilhar? Vou adorar saber!

Beijos estrelados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *